Notícias Opiniões Segurança Moto Clubes Pilotos Eventos Desporto Esc. Condução IPO Área Reservada 
Thu, 09 Dec 2021
Entrada
Atrelados
Automóveis
Bicicletas
Motos
Viaturas Usadas
Emprego
Campeonato Open Velocidade
 
 
Miguel Silva no COV - Estoril III

Miguel Silva esteve presente em mais uma prova no Campeonato Open de Velocidade Vodafone. O circuito do Estoril foi o palco da antepenúltima prova do campeonato, com organização do Motor Clube do Estoril num fim-de-semana com sol, apesar do augúrio das chuvas de sexta que faziam prever uma prova mais complicada.

Na classe Promocup 1000, os pilotos mais rápidos rodaram nos treinos cronometrados a 1:51, uma larga distância para os 2:11 do último piloto a fechar o circuito.

Já na corrida, a melhor volta – 1:49,978 - fê-la Fernando Neto, piloto que veio da Classe Stocksport, para se sagrar, sem surpresas, vencedor da corrida. Seguiram-se Cláudio Silva e Luís Martins, aos comandos de Suzuki GSXR1000. Mais uma vez esta dupla manteve uma luta acesa pelos lugares da frente, a que já nos habituaram no decurso deste campeonato.

Nas 600 foi António Gonçalves a cruzar a meta na primeira posição, aos comandos de Suzuki GSXR 600, seguido de Eusébio Nogueira, em Honda CBR 600RR, que realizou a melhor volta das 600, a 1:52,139, na 8ª volta. O terceiro lugar do pódio coube a Nuno Nogueira, em Yamaha R6.

Para Miguel Silva o fim-de-semana não esteve tão soalheiro, tendo sofrido uma queda nos treinos livres danificando as carenagens da sua Suzuki GSXR 1000, impossibilitando-o de comparecer nos treinos cronometrados e encontrar o melhor compromisso de afinação de suspensões para a corrida.

Partindo da 20ª posição na grelha, o piloto de Coimbra estava ainda por descobrir que o infortúnio da queda não haveria de ser o seu único prejuízo naquela corrida. Tentando recuperar algumas posições na tabela, e a 5 voltas do final da partida, uma falha continuada na injecção impediram o piloto de progredir, na aproximação do grupo onde rodavam Mário Alves, em Honda CBR 1000RR, Paulo Amaral, em Ducati 1098S, e José Silva em Yamaha R6. Com a moto mais lenta nas zonas rápidas, Miguel Silva tentou recuperar nas zonas mais lentas e nas travagens, cruzando a meta na 11ª posição.

“Não foi um fim-de-semana nada fácil, para mim ou para a minha equipa. A moto ficou com as carenagens bastante danificadas na queda, o que me impossibilitou de fazer os treinos cronometrados. Muito do trabalho na afinação de suspensões é feito na pista, entre estes treinos, de acordo com as respostas que a moto dá face às condições gerais. Sem possibilidade de testar a afinação nos treinos, não conseguimos, como seria de esperar, encontrar o melhor compromisso para as suspensões. Como se isso não fosse o suficiente para estragar uma corrida, voltei a ter problemas na injecção da minha moto. Já não é a primeira vez que isto acontece, teremos agora de encontrar o problema antes da próxima corrida de Huelva”, comentou o piloto.

Relativamente ao Campeonato, Miguel Silva comentou ainda que “A Classe Promocup em Portugal acaba por ter pilotos com vários níveis de experiência e motos com níveis de preparação dependente da carteira de cada um, não sendo uma verdadeira classe de promoção e de angariação de novos pilotos.
O que se verifica é que os pilotos que não conseguem ter protagonismo na classe seguinte, stockport, pelos mais variados motivos, acabam por não sair ou então regressar à Promocup, para poderem ser notícia e com isso tentarem angariar alguns apoios para poderem continuar a correr.
Seria interessante criar as categorias de veteranos, rokkies e expert para aqueles que tem mais de 3 anos de experiência. O que não aparece nos resultados é que há pilotos com mais de 10 anos de corridas e que na classe promocup naturalmente se evidenciam, contra os que estão a começar e que estão a conhecer pela primeira vez as trajectórias, o comportamento das motos em pista, as diversas possibilidades de afinação da moto, a melhor postura do corpo na moto e gerir toda a logística e tantas novidades que se apresentam pela primeira vez. Por isso qualquer participação no COV é, já por si, uma prova de resistência importante.
Gostaria de felicitar todos os pilotos participantes e todas as empresas que apoiam, organizações, meios de comunicação social, as pessoas que incógnitas também ajudam e o público que participa e que procura informação. Estas pessoas são as responsáveis pela continuação do desporto motociclista em Portugal.”

Engine'R Team, 2008-09-11
 
Pesquisar
Galerias
Freestyle Motocross Cidade Lisboa 2005
Várias Galerias
Lisboa Down Town 2005
Tiago Monteiro
PT Rally de Portugal
Lisboa Down Town
Dakar 2005
Trial Indoor 2005

W e b - d e s i g n


  A informação disponibilizada é de carácter informativo. Não tem a pretensão de ser exaustiva nem completa.
Não nos responsabilizamos por qualquer tipo de incorrecção, embora tenhamos a preocupação de ter a informação o mais correcta possível.