Notícias Opiniões Segurança Moto Clubes Pilotos Eventos Desporto Esc. Condução IPO Área Reservada 
Thu, 17 Jun 2021
Entrada
Atrelados
Automóveis
Bicicletas
Motos
Viaturas Usadas
Emprego
Campeonato Open Velocidade
 
 
Team Clássico Racing PR Braga II

Azar volta a bater à porta

Braga (Portugal), Sábado 28 de Julho 2012: o quente verão minhoto recebeu de novo a caravana do Troféu Nacional de Clássicas para a quarta ronda, com um número crescente de participantes: 16.

Após uma semana de muito trabalho, que incluiu uma sessão de treinos à porta fechada, o Team Clássico Racing surgia com expectativas elevadas, depois de na prova anterior ter estado tão perto do pódio. Além disso, a descoberta do melhor caminho para afinar a Yamaha RD 350 LC havia motivado bastante toda a equipa para encontrar um acerto já bastante próximo do ideal e que permita rodar mais rápido e no ritmo dos pilotos da frente.

Aproveitando a sessão de testes privados de sábado de manhã, a equipa foi mesmo a única das Clássicas a treinar, para adicionar mais tempo de pista e retirar todo o tipo de elementos, para além de experimentar novas combinações que permitam solidificar o conhecimento que se vai tendo destas motos, que têm de correr contra verdadeiras motos de competicão, como são as Yamaha TZ. Mas o azar voltou a bater à porta, quando Fernando Pedrinho Martins tinha iniciado a primeira de uma série de voltas rápidas e o motor cedeu.

A corrida viu Hermano Sobral (Yamaha TZ 250) desenvencilhar-se da Honda do MC Faro, pilotada por André Caetano – de novo afectado por pequenos problemas técnicos - e rubricar um “poker” de vitórias. Carlos Santos regressou ao pódio, na frente de Paulo Barbosa e Tom Sousa Machado, a contas com um furo lento na TZ 350.

Na classe C2, na ausência de João Leandro, foi José Figueiredo a impor a Yamaha XS 500, na frente de Joaquim Boavida e a Moto Guzzi V7 S3. Com Jerôme Chevalley de volta, as Norton Manx 500 mantêm-se imbatíveis na C1, ficando António Figueiredo atrás com a Molenar Manx 500. Entre as Open, Fernando Matos de Sousa (Honda CBR 600F) venceu isolado, após os abandonos de Germano Pereira e Daniela Saraiva.

“Não há muito a dizer”, disse Fernando Pedrinho Martins. “o motor cedeu e nem sequer pudémos verificar a moto para os treinos oficiais. Contudo, fizémos progressos e esperamos regressar em força e já com as duas motos em Portimão. Ainda tentámos alinhar com uma Yamaha TZ 350B do José Artur Campos Costa, a quem agradeço o gesto (e ao António Cristina) mas a falta de treino não permitiu verificar que havia um ligeiro problema na carburação que não deu para resolver a tempo. Agradeço a toda a equipa todo o esforço que tem feito e não nos conformaremos com esta onda de má sorte que teima em não nos largar”.

Em Braga, o Team Clássico Racing adicionou mais um apoio, o da CCP Lavori, empresa italiana especializada em trabalhos de consolidação e tratamento de solos com injeção de cimento por jacto (“jet grouting”).

Visite a página dedicada às motos clássicas de competição em http://www.facebook.com/home.php#!/pages/Team-Cl%C3%A1ssico-Racing/178864475505074

Team Classico Racing, 2012-07-30
 
Pesquisar
Galerias
Freestyle Motocross Cidade Lisboa 2005
Várias Galerias
Lisboa Down Town 2005
Tiago Monteiro
PT Rally de Portugal
Lisboa Down Town
Dakar 2005
Trial Indoor 2005

W e b - d e s i g n


  A informação disponibilizada é de carácter informativo. Não tem a pretensão de ser exaustiva nem completa.
Não nos responsabilizamos por qualquer tipo de incorrecção, embora tenhamos a preocupação de ter a informação o mais correcta possível.